quarta-feira, 31 de agosto de 2011

COMERCIANTES DA FÉ


RECEBI ESTE VÍDEO DE UM AMIGO E DECIDI DIVULGA-LO PARA QUE AS HERESIAS SEJAM IDENTIFICADAS E COMBATIDAS.


video






"Vídeo também disponível no you tube".


E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.2 Pedro 2:3



Em Cristo


Adriano

terça-feira, 30 de agosto de 2011


QUE DEUS FEZ POR NÓS 
Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.” Rm 8:29-30 

Você já parou para pensar o que Deus fez por você? Não apenas durante sua vida, mas desde muito antes de você nascer? E você crê que Ele tem determinado um futuro glorioso para você, e que esse futuro é certo? Vamos analisar algumas coisas que Deus fez, faz e fará por nós. 

Deus nos elegeu. Quando o texto se refere aos que “dantes conheceu” não está declarando simplesmente que Deus tomou conhecimento da nossa existência na eternidade. Tampouco está dizendo que Deus anteviu alguma característica em nós que Lhe atraísse, nem algo que iriamos fazer ou como reagiríamos diante da oferta do evangelho. O verbo conhecer na Bíblia tem caráter relacional e até íntimo. "O Senhor conhece quem lhe pertence" (2Tm 2:19). Jesus disse “conheço as minhas ovelhas; e elas me conhecem” (Jo 10:14). Sendo assim, o “dantes conheceu” implica uma escolha prévia, soberana e graciosa, devido unicamente ao especial amor de Deus por nós. 

Deus nos predestinou. Predestinar é destinar de antemão. Significa que Deus já tem determinado um futuro especial para nós na eternidade. Muitas pessoas não gostam da palavra predestinação, evitam-na e até a combatem. Porém essa palavra nunca é apresentada de forma negativa na Bíblia e não temos nenhum motivo para rejeitá-la, uma vez que Deus é o agente da predestinação. Ora, se cremos que tudo o que Deus faz é bom e se a Bíblia diz que Deus predestina, então devemos amar a doutrina expressa por essa palavra. Pois foi “em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade” (Ef 1:5). 

Deus nos chamou. Não significa que Deus apenas nos convidou e esperou passivamente que escolhêssemos aceitar ao seu chamado. Nem mesmo que o Espírito Santo se esforçou para nos persuadir das vantagens da aceitação do evangelho comparadas com as sérias consequências da rejeição, apelando ao nosso bom senso para uma decisão sensata. Nas cartas de Paulo, a chamada de Deus é sempre eficaz. Significa que somos renovados em nosso coração, mente e vontade, pois de outro modo não poderíamos ir, desse modo, não podemos não ir. Esses dois fatos são sintetizados por Jesus quando diz “ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia” (Jo 6:44). 

Deus nos justificou. O maior dilema da humanidade é “como se justificaria o homem para com Deus?” (Jó 9:2) ou “como seria puro aquele que nasce de mulher?” (Jó 25:4). Não pecar é a resposta mais óbvia, porém a Bíblia retira qualquer esperança nesse sentido quando declara, a priori, que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3:23) e que por isso“não há um justo, nem um sequer” (Rm 3:10). Inútil seria tentar fazer algo que compensasse isso, pois “todas as nossas justiças como trapo da imundícia” (Is 64:6). Apesar disso, a Bíblia diz que Deus nos justificou! Como? Não buscando em nós justiça pessoal, mas justiça alheia, mais especificamente “a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé” (Fp 3:9). Deus castigou nosso pecado em Jesus e mediate a fé somos declarados justos diante dEle! 

Deus nos glorificou. Causa estranheza a Bíblia declarar que fomos glorificados, quando ainda não experimentamos essa realidade. O que Deus está afirmando ao usar esse tempo verbal é que a nossa participação da glória de Cristo é certa. "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo" (Fp 1:6). Se fomos chamados e justificados, então é certo que seremos glorificados, assim como é fato que fomos eleitos e predestinados. Todos esses eventos estão postos em cadeia, de modo que nenhum elo pode ser quebrado. Não é possível negar a eleição ou a predestinação sem destruir a chamada e a justificação e tornar incerta a glorificação. 

Conclusão. Paulo não estava defendendo as doutrinas da eleição, predestinação, chamada, justificação e glorificação nesses versículos. Ele as tinha como certas e supunha serem aceitas por seus leitores. Ele estava utilizando essas doutrinas para justificar aos seus leitores o fato de que“todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8:29). O que ele estava ensinando é que uma vez que Deus já assegurou nosso bem da eternidade passada à eternidade futura, então “aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada” (Rm 8:18). Que estas palavras sirvam para lhe dar a certeza de que o mesmo Deus que agiu para seu bem na eternidade passada e agirá na eternidade futura também cuidará de ti em meio as aflições presentes, para Sua eterna glória! 

Soli Deo Gloria

Fonte: Clóvis - Cinco Solas

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

"PROTESTO"

Saudações a todos!!!
Deixo aqui o meu protesto de não concordar em grau, número e gênero na questão abaixo exposta, após ler esta matéria no noticias.gospelmais.com.br não consegui resistir e publiquei aqui para que todos possam verificar onde estamos chegando. Veja a matéria abaixo:



Teólogo protestante pede para que líderes de igrejas nomeiem o Papa como líder religioso de todos os cristãos.

Teólogo protestante pede para que líderes de igrejas nomeiem o Papa como líder religioso de todos os cristãos

O teólogo protestante Reinhard Frieling defende que o papa Bento XVI seja nomeado líder honorário de todos os cristãos. A proposta surge poucas semanas antes da visita do líder católico a Alemanha.
“O sonho da comunhão de todos os cristãos pode se tornar realidade se os protestantes oferecerem ao papa o papel de chefe honorário da cristandade”, disse o ex-líder do Institute Kundlichen, de Bensheim.
Para o professor emérito da Universidade de Marburg, o papa poderia “falar em nome da cristandade em situações extraordinárias”. Ele argumentou que uma liderança comum daria crédito ao cristianismo como mensagem.
Se a proposta se viabilizar, o aniversário da Reforma em 2017, com seus 500 anos, poderá ser a ocasião certa para concretizar a visão, baseada em sua opinião do papa já ser “porta-voz para todos os cristãos.”
O teólogo protestante sugere que as igrejas da Reforma abandonem sua “auto-suficiência” e assumam as “corajosas consequências ecumênicas”.
Essa proposta lembra a que foi feita pelo bispo Johannes Friedrich, da Igreja Luterana da Baviera, há dez anos. Friedrich argumentava que o papa poderia ser aceito como porta-voz do cristianismo mundial como serviço ecumênico de unidade..
A visita do papa a Alemanha está prevista para os dias 22 a 25 de setembro, e inclui as cidades de Freiburg e Berlim, com um discurso diante do Bundestag (Parlamento) alemão, e uma reunião com representantes da Igreja Evangélica na Alemanha (EKD) no mosteiro agostiniano em Erfurt.
Fonte: ALC

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Manifesto Cristão





A maior parte do cristianismo evangélico hoje é fundamentado em clichês. A maior parte do nosso cristianismo vem de músicos que se dizem cristãos, e não da bíblia. A maior parte do que os evangélicos acreditam é ditado pela cultura secular e não pela escritura. 
Poucos são os que encontram a porta estreita. Consequentemente, as ideias mais populares possivelmente não são os conceitos mais próximos da verdade bíblica. Nos dias de hoje, desconfie de qualquer “Best-seller”. Desconfie de qualquer um que for sucesso ou um furacão de vendas, simplesmente porque a genuína verdade cristã jamais foi e nunca será “digerida” pelas massas. A maior prova disso, é que mataram o seu autor. Se caiu no gosto da maioria é falso. Lembre-se, Jesus se referiu aos seus verdadeiros seguidores como “pequenino rebanho”.
A apostasia que a Bíblia nos advertiu que seria evidente nos últimos dias já está em pleno andamento. Somente aqueles que se mantiverem firmes a Palavra de Deus serão protegidos e salvos. Este remanescente de crentes fiéis será visto como pessoas antiquadas e de mentalidade fechada. 
A natureza da salvação de Cristo é deploravelmente deturpada pelo evangelista moderno. Eles anunciam um Salvador do inferno ao invés de um Salvador do pecado. E é por isso que muitos são fatalmente enganados, pois há multidões que desejam escapar do Lago de fogo, mas que não têm nenhum desejo de ficarem livres de sua pecaminosidade e mundanismo. Sem santificação ninguém verá o Senhor.
Os Evangélicos modernos procuram encher suas igrejas de analfabetos bíblicos, convencendo-os que eles irão para o céu, simplesmente porque levantaram a mão e fizeram uma oração, como sinal de aceitação de Jesus como Salvador, e que Ele vai lhes dar o sucesso familiar, social e financeiro, se tiverem um nível de moralidade considerável e forem dizimistas fiéis; o que se constitui propaganda enganosa.
Muitos dizem não ter vergonha do evangelho, mas são uma vergonha para ele. A primeira geração de cristãos pós-modernos já está aí. São crentes que pouco ou nada sabem da Palavra de Deus e demonstram pouco ou nenhum interesse em conhecê-la. Cultivam uma espiritualidade egocêntrica, com nenhuma consciência missionária. Consideram tudo no mundo muito “normal” e não veem nenhuma relevância na cruz de Cristo. Acham que a radicalidade da fé bíblica é uma forma de fanatismo religioso impróprio e não demonstram nenhuma preocupação em lutar pelo que creem.
Você sabia que 80 á 90% das pessoas que “aceitam a Cristo” em trabalhos evangelísticos se “desviam” depois? O motivo de tudo isso tem sido esse evangelho centrado no homem que é pregado nos púlpitos, nas TVs e nas casas, onde o bem-estar e a prosperidade tem se tornado “mais valiosos” que o próprio sangue de Cristo. A graça já não basta mais (apesar dos louvores e acharmos Cristo tão meigo). O que nós realmente queremos é “o segredo” para sermos bem-sucedidos. Desejamos “uma vida com propósitos” para taparmos com peneira o vazio que sentimos. O Vazio de um espírito morto que somente Deus pode ressuscitar. Queremos “o melhor de Deus para nós” nesta vida, no lugar de tomarmos a nossa cruz e de negarmos a nós mesmos. Queremos conhecer “as leis da prosperidade” mais do que o Espírito de Santidade; e, para nos justificarmos, tentamos ser pessoas auto-motivadas e de alta performance, antes de sermos cristãos cuja alegria está em primeiro lugar Nele; e santos bem aceitos pelo mundo a despeito das Palavras de Jesus contrariar esse posicionamento.
A falha do evangelismo atual reside na sua abordagem humanista. Esse evangelho é francamente fascinado com o grande, barulhento, e agressivo mundo com seus grandes nomes, o seu culto a celebridade, a sua riqueza e sua pompa berrante. Para os milhões de pessoas que estão sempre, ano após ano, desejando a glória mundana, mas nunca conseguiram atingi-la, o moderno evangelho oferece rápido e fácil atalho para o desejo de seus corações. Paz de espírito, felicidade, prosperidade, aceitação social, publicidade, sucesso nos negócios, tudo isso na terra e finalmente, o céu. Se Jesus tivesse pregado a mesma mensagem que os ministros de hoje pregam, ele nunca teria sido crucificado. 
Hoje temos o espantoso espetáculo de milhões a ser derramado na tarefa de proporcionar irreligioso entretenimento terreno aos chamados filhos do céu. Entretenimento religioso é, em muitos lugares rápido meio de se esvaziar as sérias coisas de Deus. Muitas igrejas nestes dias tornaram-se pouco mais do que pobres teatros de quinta categoria onde se "produz" e mercadeja falsos “espetáculos” com a plena aprovação dos líderes evangélicos, que podem até mesmo citar um texto sagrado fora de contexto em defesa de suas delinquências. E dificilmente um homem se atreve a levantar a voz contra isso. 
A maioria dos crentes não acredita que a Bíblia diz o que está escrito: acreditam que ela diz o que eles querem ouvir. Contornar a Palavra de Deus e chamar os nossos desejos de direção divina, só leva à multiplicação do pecado. Há muitos vagabundos religiosos no mundo que não querem estar amarrados a coisa alguma. Eles transformaram a graça de Deus em libertinagem pessoal e muitas vezes coletiva. Se você crê somente no que gosta do evangelho e rejeita o que não gosta, não é no evangelho que você crê, mas, sim, em você mesmo. 
Ai de vocês que pregam seu falso evangelho, transformam a casa de Deus em comércio. Vendem seus CDs, vendem seus falsos milagres, vendem suas falsas unções, vendem falsas promessas de prosperidade, enquanto na verdade só vocês têm prosperado. Como escaparão do juízo que há de vir? 


"Ao ouvirem isso, muitos dos seus discípulos disseram: "Dura é essa palavra. Quem consegue ouvi-la?" Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido." João 6:60;66-65

- Conteúdo adaptado a partir de algumas ideias e textos de diversos autores Cristãos.
Fonte: Ao Único Verdadeiro Deus

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Posso todas as coisas!!!!

 






 Interessante ver como muitos pregadores e muitos cristãos usam o versículo de Filipenses para a teologia da prosperidade, talvez até mesmo sem saber o que é essa teologia mas fazem (ou usam o termo) seguindo o modismo atual. Vamos ler o trecho Fp. 4.13 Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece.
  Se nós usarmos o versículo separadamente do texto e totalmente fora do contexto provavelmente estaríamos propenso a cair no mesmo erro, porém analisando o texto vemos o contrario do que muitos pregam e até ensinam. Vamos refletir em alguns pontos:
1º - Eu não posso omitir o versículo anterior pois o verso 13 só veio por causa do versículo 12. Vejamos o que diz: Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade,  vemos aqui o relato de Paulo já terminando sua carta aos Filipenses e fazendo seus agradecimentos e considerações finais ele então entra nesta questão, pois recebera ajuda dos próprios filipenses que enviaram pela mão de Epafrodito como narra o verso dezoito do mesmo capitulo.
2º - O verso em tela não pode ser uma doutrina da prosperidade, pois seria logo conflitado pelo verso 17 onde ele diz que não procura dadivas, visto que na teologia da prosperidade este é o maior objetivo.
  Ora então o que o versículo 13 quer dizer?
Simples e unicamente que Aquele que o chamou também o capacitou para que em qualquer situação seja ela adversa ou favorável ele (Paulo) poderia com convicção passar.
Na adversidade convicção que não negaria o que lhe escolheu.
Na abundancia que não desprezaria o dom gratuito de Deus nem a sua chamada pois muitos entram pelo caminho de Demas e pelo premio de Balaão, porque o Senhor é quem o dá condições para estar em qualquer situação seja padecer necessidade seja estar abastado.
   Trazendo para nós hoje o que isto significa é que a nossa declaração deve ser a mesma de Paulo devemos estar convictos de que seja qual situação for Deus o nosso Senhor é quem nos fortalece e nos capacita e também nos condiciona para tal situação.
E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá. I Pe. 5.10.
Fiquem na Paz!!!!
Tradução bíblica da ACF.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Imitadores de Deus - Efésio 5.1





Saudações!!!
    O apóstolo Paulo traz através desta passagem bíblica uma orientação de suma importância, pois se temos que imitar alguém este alguém deve ser um exemplo e  inspiração para nós.
Tendo exortado a igreja a andar como filhos da luz o apóstolo faz valer a Pessoa mais importante e mais própria a ser imitada, traçando um paralelo entre a vida antes de sermos iluminados pela palavra da verdade  e após sermos iluminados pelo esclarecimento da escritura ele faz então uma observação importantíssima para que nós consigamos cumprir todas as observações aqui expostas temos uma pratica a ser cumprida a de  imita-Lo.
     Paulo nos diz que sejamos imitadores de Deus como filhos amados, tão importante a questão de imitar é imitar não como invejoso nem como querendo usurpar o lugar de Deus mas como filhos amados.
     Segundo o evangelho de João 1.12 após crermos em Jesus Cristo recebermos então o direito de sermos feito filhos de Deus interessante abordar que não somos feito filhos de Deus pela vontade do homem ou da vontade da carne mas de Deus e se como filhos amados vamos imitar alguém este alguém só pode ser o Pai.
     Trazendo pra nossa atualidade vemos que muitos que se dizem filhos ao invés de imitar ao Pai tem imitado  a outros que não este.
     Quando deixamos de imitar o Pai a tendencia é andarmos por vista e não mais pela fé, então embarcamos no mar da ilusão influenciadora da humanidade sejam personagens ilustres sejam lideres bem sucedidos e tantos outros.
      No assunto de influencia o mundo apresenta o seu portfólio em todos os aspectos, na moda na musica no atletismo na religiosidade e em tantas outras, quem embarca nesse navio de engano passa a incorrer no versículo 8 do capitulo 5 de Efésios quando diz que antes éramos trevas mas agora somos luz e assim sendo devemos andar como filhos da Luz e quem anda como filhos da Luz não tem como influencia qualquer personagem do mundo pois o mundo anda em contrario a palavra de Deus. Note bem que o verso fala em outro tempo, isso quer dizer que agora toda minha vida deve ser pautada pelo exemplo maior que é a do próprio Deus.
     Este imitar fala de andar agir da mesma maneira que o Pai assim o faz, da mesma maneira que o filho quer parecer o Pai assim os nascidos de Deus querem ser parecidos com o Pai em todas as situações. Pedro chama nossa atenção para o exemplo de Cristo na sua primeira carta no capitulo dois e verso vinte e um:      
     Para isto foste chamado porque também Cristo padeceu por vós, deixando-vos o exemplo, para que sigais as suas pisadas. Neste caso já não devemos andar de nossa própria forma mas sim da forma de Cristo como imitadores do Pai. entendendo este assunto de imitar o Pai como filhos então devemos fazer uma analise pessoal e vermos se o referencial maior da nossa vida é o Pai ou outro qualquer se a segunda opção for o nosso caso devemos voltar correndo para o Pai e pedir-lhe que guie nossos passos pelo caminho santo e incline o nosso coração para imirta-Lo em todos os aspectos sabendo que se ocorrer é a iluminação de Deus em nosso coração para voltarmos para Ele.


Que Deus o Pai vos abençoe.Amém!!!